Como organizar as finanças – parte IV

Spread the love

 

 

Como controlar as finanças

Como organizar as finanças – parte IV
Dê sua nota sobre este post

 

Surgiu um imprevisto, o que faço?

Imprevistos? Qual é o significado de imprevisto? De forma bem simples: quer dizer algo que não foi previsto! Logo, para deixar de ser imprevisto, tem que ser algo previsto.

Que tipos de imprevistos podem acontecer que nos fazem recorrer a empréstimos, ou parcelamentos, sem nenhuma análise prévia da situação financeira?

Se o imprevisto já aconteceu, as pessoas querem solucionar rápido, e não pensam nas consequências. Esperam acontecer para tomar medidas. A melhor forma de organizar as finanças é se precavendo de tudo, até porque sem controle você viverá sempre para pagar contas, não respirar para investir. É isto que você quer?

Vamos aos tipos de imprevistos e algumas soluções práticas:

  1. Dor de dente

O que você fará se sentir dor de dente no meio da noite?

a) Comprará um remédio para aliviar

b) Procurará um plantão odontológico

c) Irá no seu dentista de confiança

d) Irá no primeiro consultório que encontrar.

Todas as alternativas trará custos que quando não previstos, abalam a nossa estrutura financeira, e automaticamente seu orçamento doméstico fica sensível.

E qual a melhor forma de se prevenir?

Como organizar as finanças

A melhor forma é cuidar dos dentes antes de sentir a dor, mas se ela aparecer, não terá custos adicionais por isto. Então, pesquise planos odontológicos que não cubram somente estética, e pague mensalmente. Faça limpeza semestral, vá ao dentista antes de sentir qualquer coisa. Quer fazer um comparativo: avalie quanto custa cada procedimento com o quanto você vai gastar pagando o plano, e ainda mantendo seus dentes saudáveis. É um tipo de despesa que te deixa prevenido contra este tipo de imprevisto. Este tipo de resolução é uma forma de organizar sua vida financeira. Lá na frente você me agradecerá.

O conselho acima não serve apenas para saúde dos nossos dentes, pode ser usada para a saúde do nosso corpo também. Plano de saúde e odontológico são para nos ajudar a cuidar da nossa saúde antes de ter um problema mais grave.

2.  A sua torneira estragou

Já repararam que quando você diz: este mês nada pode acontecer porque não tenho recursos para resolver. Aí, vejam o que acontece: estraga a torneira, ou chuveiro… enfim, a Lei de Murphy existe para você que não pensou no imprevisto. E mesmo que você mesmo arrume, terá que comprar peças. E na situação financeira que se encontra, ainda buscará culpados.

O maior culpado é você mesmo, por morar numa casa e achar que ela nunca vai pedir manutenção! Mas calma, não se sinta totalmente culpado. A única culpa que coloco aqui é a de não ter previsto este custo antecipadamente.

Como você pode prever este custo ou outros dentro de uma casa?

Conhece seguros residenciais? Aqueles que em caso de roubo, incêndio, etc… evitam que você tenha que comprar tudo de novo na sua casa? E você sabia que este seguro que as pessoas pagam vem com benefícios além da sua finalidade?  Quando estraga alguma coisa, você chama o seguro e eles vão arrumar o item estragado. Obviamente terão que pesquisar mais do preço do seguro! Pesquisem o que eles oferecem? Manutenção residencial? Trocam peças? Consertam aparelhos linha branca (máquina de lavar, microondas…)? Enfim, faça o custo-benefício. Despesa anual que evita grandes surpresas que podem sair mais caras do que você está disposto a pagar naquele momento. Para organizar as finanças deverá aprender que a economia que faz agora pode significar um custo daqui a pouco.

Eu mesma: não conserto torneiras, nem descargas, não prego quadros, e só lavo roupa na máquina de lavar. Aqui em casa o chuveiro já queimou na época do frio, a torneira estragou e o vazamento podia estragar os armários, e minha máquina de lavar já estragou também. Eu simplesmente liguei para o seguro vir resolver, pronto. Sem desespero! Eles vêm no dia agendado, resolvem da forma que convir o problema. Talvez eu tenha acumulado roupas para lavar por uns dias enquanto o seguro resolvia o problema. Mas o que eu tive de gasto fora do meu padrão? Nenhum, eu estava prevenida!

3. Meu carro estragou

Está aí um custo que não temos como fugir! Queima o farol, estraga a bateria, às vezes, a suspensão… existem inúmeros termos do que acontece no nosso carro. E todos os nomes quando escuto vem com uma luz vermelha no meu cérebro: que facada! Aí meu Deus, além do custo exorbitante, tenho que ficar sem carro!

Temos alguma solução para este tipo de imprevisto: faça a revisão. Mas não espere chegar o dia da revisão para saber quanto custa a revisão necessária! Pesquise o preço antes! Junte o recurso pelo tempo que precisará para levar o carro na concessionária e fazer a revisão. Peça garantias de tudo que foi feito na revisão! Guarde as garantias, elas podem ser sua salvação financeira mediante um imprevisto.

 

Enfim, existem inúmeros imprevistos que podem surgir na nossa vida, e para todos temos uma solução. Só precisamos pensar neles antes de ocorrerem e ter uma saída para quando eles realmente acontecerem. Desta forma não haverá desespero e nem abalo financeiro de curto prazo!

Montem uma tabela da seguinte forma, e para cada imprevisto elencado, apresente uma solução. Para cada passo tomado, elimine este imprevisto da sua lista. Tenha uma agenda disponível para anotar todos os passos que adotará rumo ao controle das suas contas. Mude a sua mentalidade para mudar sua vida.

Dor de dente ————— plano de odontológico

Problema de saúde ———- plano de saúde

Reparos na casa———— seguro residencial

Problema no carro ——— revisão em dia

Roubo do carro/batida—— seguro do automóvel

Remédios—————- reserva financeira para esta finalidade

Percebeu que os imprevistos só acontecem na nossa vida por falta de planejamento estratégico para cada situação. Para cada problema listado a uma solução adequada. Não pensem que nunca acontecerá com você! A Lei de Murphy só acontece com que não se preparou.

Elimine os imprevistos na sua vida! Se não conseguir pensar em alguma solução para o imprevisto que elencou, escreva nos comentários que pensaremos na solução.

Acompanhem a série toda sobre como organizar as finanças:

  1. Primeiro Salário
  2. Férias
  3. Estou endividado
  4. Imprevistos (artigo que acabou de ler)
  5. Demitido (aguardem para a próxima semana)

Que tal escreverem nos comentários sobre o que gostariam que eu escrevesse posteriormente?

Autor: Nádia Ferraz

Sou formada em Gestão Hoteleira pelo IFG-GO e pós graduada em Controladoria, Auditoria e Finanças pela FGV. Trabalhei com finanças nos últimos 10 anos, e tenho orgulho de tudo que fiz para que a empresa se mantivesse no mercado no período de crise. Aprendi a organizar finanças tendo como base sonhos de curto prazo, e obtive sucesso, realizando todos eles. Nunca fui escrava do dinheiro, mas uso como trampolim para a realização dos meus objetivos. Eu corro riscos calculados! Planejo exatamente tudo que preciso fazer e coloco todos os problemas - sendo que os problemas não me fazem desistir, mas pensar em soluções para cada situação que puder ocorrer. Este projeto eu comecei para ajudar as pessoas na parte de educação financeira sem falar de balanços, dre's ou outros termos técnicos que muitos insistem em usar. Eu quero mostrar apenas que com planejamento é possível você mudar o seu mundo. Não mude o mundo inteiro, mas se você mudar o seu, você irá incentivar outra pessoa a mudar. e aos poucos iremos criar uma sociedade menos consumista e com um futuro que não dependa da Previdência, não é mesmo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *