Como organizar as finanças – Parte V

Spread the love

 

Como organizar as finanças

O fantasma do desemprego

Como organizar as finanças – Parte V
Dê sua nota sobre este post

 

De acordo com o IBGE a taxa de desemprego fechou o ano de 2017 com um  percentual de  12,7%. Isto quer dizer que temos uma boa parcela da sociedade desempregada. Será que estar desempregado é motivo de desespero? Respire fundo para começar a organizar as finanças! O desespero fará com que tome atitudes irracionais!

Para quem não organizou suas finanças com afinco é uma situação desesperadora sim, mas caso não tenha cabeça fria poderá ser pior. Muita gente acredita que o emprego é eterno, que como se dedica muito a uma empresa, ele ficará lá por muito tempo.

Como organizar as finanças

Demissão não é maldade do empregador, é estratégia. Um departamento pode deixar de existir, a empresa pode mudar seu modelo de gestão, a crise exigiu que as atividades fossem mais enxutas, ou você pode ter deixado a desejar durante um tempo maior que o que empresa poderia suportar.

Olhe para a demissão como uma oportunidade de crescimento, você pode ir para outra empresa, ou pode usar seu conhecimento a seu favor. Poderá ser recolocado, e aprenderá com certeza a viver de forma mais adequada a seu estilo de vida, você se tornará menos consumista. E conseguirá saber o que é supérfluo ou não em sua vida.

Uma informação importante: a empresa após rescindir seu contrato de trabalho tem exatamente 10 dias para pagar todos os seus direitos. Fique atento! Para se ter uma ideia de quanto irá receber, clique aqui e faça o cálculo médio, não se iluda com o FGTS – o governo paga depois. E siga os conselhos abaixo:

  1. Avalie as contas que não podem atrasar por 1 ano (luz, telefone, gás, compras de casa, mensalidade escolar, plano de saúde, internet…) – coloque tudo na ponta do lápis. Não gaste este dinheiro por nada. Ele é imprescindível para a sobrevivência sua e da sua família.
  2. Sabe o FGTS que você terá direito a sacar? Pois é, não pense que poderá gastar tudo trocando de carro, viajando, esquecendo  a vida real – saiba que ela  irá  cobrar por cada ato insensato! Você tem casa financiada. Então pague um ano da casa com o seu FGTS, antes de sair do banco se possível.
  3. Sobrou recurso do FGTS? Sabe as contas que você fez (prestação do carro, empréstimos bancários, cartões) – elimine estas dividas. O máximo possível.
  4. Você receberá o famoso seguro-desemprego? Não ache que por ter se organizado poderá gastar tudo, viva moderadamente. Famílias podem ser desconstituídas no aperto financeiro, devido ao clima constante de cobrança, brigas.
  5. Use seu seguro desemprego para procurar emprego, se vai pagar para te recolocarem no mercado ou se vai procurar sozinho, é uma decisão que cabe a você o quanto antes. Você irá precisar de combustível ou passagem de ônibus para passar o dia procurando, mesmo que envie curriculuns por e-mail – as entrevistas são pontuais e presenciais. Não vale perder oportunidades por falta de controle financeiro, concorda?
  6. Ainda tem recurso do acerto? Que tal investir no seu futuro? Escolha algo que dê retorno mensal. Quem sabe esta não será uma fonte de renda segura até você voltar ao mercado de trabalho. Pesquise! O mercado financeiro tem ótimas oportunidades. Estude!
  7. Não fique totalmente sem renda, encontre algo para fazer que te dê retorno financeiro no qual você poderá usufruir para passeios, e outras diversões que achar necessário. Tem um site que tem muita vaga de freelancer, quem sabe não tem algo que foi feito para você lá? Quer saber mais, clica aqui.
  8. Será necessário fazer algumas mudanças no seu estilo de vida. Alguns gastos que são considerados de luxo terão que ser cortados imediatamente. Não deixe para depois, lembre-se vocês precisam sobreviver um ano.
  9. Se você for o único responsável pelo sustento da sua casa, converse com todos abertamente, tome as decisões e seja firme pelo bem de vocês até que encontre uma nova oportunidade de trabalho.
  10. Lembre-se bem destes conselhos para que não tenha que vender bens para sustentar uma condição que vocês não têm!

 

Se você não está desempregado, se programe para que não seja pego de surpresa. Faça algum investimento de longo prazo que gere retorno financeiro, pois desta forma quando acontecer não ficará sem renda nenhuma. Mantenha sua empregabilidade, e seja visto!

Na próxima semana o tema da série será a famosa mesada! Eduque seu filho para que ele tenha consciência financeira. Não perca!

Não acompanhou os outros artigos, clique aqui e leia toda a série “Como organizar as finanças”:

  1. Primeiro Salário
  2. Férias
  3. Endividado
  4. Imprevistos

E se você se interessou pela renda através de investimento, acompanhe os artigos que escrevo toda quarta-feira sobre a carreira de trader.

E na segunda vou começar a escrever somente sobre investimentos, para que você possa começar a estudar mais sobre o assunto. Vai perder?

Autor: Nádia Ferraz

Sou formada em Gestão Hoteleira pelo IFG-GO e pós graduada em Controladoria, Auditoria e Finanças pela FGV. Trabalhei com finanças nos últimos 10 anos, e tenho orgulho de tudo que fiz para que a empresa se mantivesse no mercado no período de crise. Aprendi a organizar finanças tendo como base sonhos de curto prazo, e obtive sucesso, realizando todos eles. Nunca fui escrava do dinheiro, mas uso como trampolim para a realização dos meus objetivos. Eu corro riscos calculados! Planejo exatamente tudo que preciso fazer e coloco todos os problemas - sendo que os problemas não me fazem desistir, mas pensar em soluções para cada situação que puder ocorrer. Este projeto eu comecei para ajudar as pessoas na parte de educação financeira sem falar de balanços, dre's ou outros termos técnicos que muitos insistem em usar. Eu quero mostrar apenas que com planejamento é possível você mudar o seu mundo. Não mude o mundo inteiro, mas se você mudar o seu, você irá incentivar outra pessoa a mudar. e aos poucos iremos criar uma sociedade menos consumista e com um futuro que não dependa da Previdência, não é mesmo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *