Como organizar as finanças – Parte VII

Spread the love
Como organizar as finanças – Parte VII
Dê sua nota sobre este post

 

Como organizar as finanças

“Garantindo o futuro profissional do seu filho”

Como organizar as finanças – Parte VII
Dê sua nota sobre este post

Como organizar as contas

A maioria das pessoas quando têm um filho sonham com  o futuro dele. Será que vai ser médico? Ou advogado? Ou engenheiro? Cuidam do bebê e fazem muitos planos, independente de ser um filho planejado ou não.

Não interessa a situação financeira de cada um, todo pai quer ver o filho entrar numa faculdade! Seja ela pública ou particular, os pais querem que os filhos tracem o mesmo caminho deles ou então vá mais longe que eles.

Será que você tem um filho e torce para que ele tenha somente o colegial?

O melhor legado que os pais deixam para os filhos é a educação!

Mesmo que hoje você não possa pagar por uma escola de qualidade, você pode planejar sua vida financeira para que o seu filho vá além do segundo grau. E claro, o mesmo conselho é válido para quem paga escola para os filhos. Afinal, todos querem garantir que o filho entre para a Universidade. E em 17 anos muita coisa pode acontecer na nossa vida.

Teve um filho? Agora pense que ele depende de você, e para garantir o futuro dele, você precisará fazer um grande esforço. Seja disciplinado, e não reclame, mas garanta que o seu filho possa estudar a profissão que ele escolher.  Sonhar é bom, planejar também faz parte do sonho. Mas fazer acontecer, é algo que depende de você. Crie as possibilidades para que aquele bebê possa se tornar um profissional com chances de um futuro melhor.

Como organizar as contas

Mas como eu posso garantir o futuro profissional do meu filho?

E você tem 17 anos para você organizar! Contudo, não espere seu filho passar no vestibular/ENEM de uma faculdade particular para dizer a ele  que não será possível. Existem inúmeros programas sociais no qual seu filho poderá ser beneficiado.

Mas você vai contar com a sorte ou vai fazer a sua sorte?

Vamos fazer uma pequena simulação:

Seu filho nasceu. E agora o futuro já começou!

Faça o compromisso de guardar R$ 100,00/mês a partir do momento que ele nasce.

Em 12 meses você terá acumulado sem contar os juros do investimento: R$ 1.200,00 (nem pense em mexer neste dinheiro).

Entretanto, são 17 anos até a faculdade. Logo você terá o cálculo seguinte:

Sem contar os juros de uma aplicação: R$ 100,00 x 204 = R$ 20.400,00

Adicione taxas de rendimento e inflação. Até porque você não vai guardar o dinheiro debaixo do colchão, não é mesmo?

Vejam bem o quadro abaixo com uma simulação rápida do que pode render você planejar antes:

como organizar as contas

Então vamos avaliar da seguinte maneira: não basta sonhar, tem que planejar e criar ações para realizar.

Ao sonhar com o futuro brilhante do seu filho, não deixe que a sua falta de planejamento possa frustrar em algum momento o plano.

Planejar não é somente curto prazo até porque ganhamos muito mais quando planejamos a longo prazo.

E o dinheiro que for guardar para a faculdade não use-o para nada, faça de conta que não existe, pois você sentirá orgulho por ter tido o hábito de pensar adiante.

Faça desta prática um hábito. O endividamento está na cabeça de cada um que acredita que parcelamento e financiamento é algo bom. Não é! Invistam para alcançar os sonhos, receba juros e não pague.

Gostou do artigo? Então, não deixe de acompanhar a série toda:

  1. Primeiro Salário
  2. Férias
  3. Endividado
  4. Imprevisto
  5. Desempregado
  6. Mesada 

E na próxima semana vamos começar sobre um tema que afeta muitos brasileiros: o consumismo! Mas será que você é consumista, clique aqui e faça um teste rápido.

Autor: Nádia Ferraz

Sou formada em Gestão Hoteleira pelo IFG-GO e pós graduada em Controladoria, Auditoria e Finanças pela FGV. Trabalhei com finanças nos últimos 10 anos, e tenho orgulho de tudo que fiz para que a empresa se mantivesse no mercado no período de crise. Aprendi a organizar finanças tendo como base sonhos de curto prazo, e obtive sucesso, realizando todos eles. Nunca fui escrava do dinheiro, mas uso como trampolim para a realização dos meus objetivos. Eu corro riscos calculados! Planejo exatamente tudo que preciso fazer e coloco todos os problemas - sendo que os problemas não me fazem desistir, mas pensar em soluções para cada situação que puder ocorrer. Este projeto eu comecei para ajudar as pessoas na parte de educação financeira sem falar de balanços, dre's ou outros termos técnicos que muitos insistem em usar. Eu quero mostrar apenas que com planejamento é possível você mudar o seu mundo. Não mude o mundo inteiro, mas se você mudar o seu, você irá incentivar outra pessoa a mudar. e aos poucos iremos criar uma sociedade menos consumista e com um futuro que não dependa da Previdência, não é mesmo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *